Filmes e Séries 

6 razões para Os Últimos Jedi ser o melhor filme de Star Wars!

Após nove filmes da franquia em live action, é seguro dizer que o filme mais polêmico de todos é a mais recente adição à franquia de Star Wars, Os Últimos Jedi. Mais do que o Despertar da Força, mais do que Rogue One, e sim meus amigos, mais até do que aqueles famosos prequels de que boa parte dos fãs detesta. No entanto, apesar de suas falhas, o Epísódio VIII é realmente o maior filme de Star Wars até o momento, superando até mesmo um dos favoritos dos fãs que é o Império Contra-Ataca, mas existe argumentos para isso, veja a seguir 6 deles.

#6 – A Atuação

Você pode odiar a direção, pode odiar a trama, mas não pode negar que a atuação em Os Últimos Jedi está impecável. O desempenho de Mark Hamill na trilogia clássica, apesar de ir melhorando drasticamente ao longo dos três filmes, não foi tão impressionante assim, considerando que ele era o personagem principal. Se formos lembrar dos prequels, existem alguns nomes ali que infelizmente não passaram de marionetes é o caso do Ewan McGregor que após esse filme não conseguiu implacar nenhum outro sucesso do mesmo nível de Star Wars no cinema, a Natalie Portman que não souberam usar todo o potencial da atriz, mas o caso que a maioria dos fãs concordam é o do ator Hayden Christensen.

Mas avançando um pouco na linha do tempo até Os Últimos Jedi, temos intrepretações incríveis de Daisy Ridley, John Boyega e Oscar Isaac. Mas o que merece destaque é o ator Adam Driver que conseguiur solidificar Kylo Ren como um dos vilões mais complexos e intrigantes da história de Star Wars. Não podemos nos esquecer da Carrie Fisher e Mark Hamill, que entregaram suas melhores versões interpretativas de Leia e Luke.

#5 – Os Visuais

Os Últimos Jedi não é só o melhor filme de Star Wars como é também o mais atraente. A cinematografia não é menos que impressionante e a mistura de efeitos práticos com o CGI consegue captar lindamente a essência da trilogia original, enquanto consegue adicionar uma boa dose de modernidade.

E falando um pouco mais sobre a trilogia original, enquanto os visuais de cada filme superam o seu antecessor, mesmo as cenas mais bonitas, como por exemplo o surgimento do Star Destroyer no início de Uma Nova Esperança, eles acabaram se tornando produtos de sua época. Enquanto isso temos um grande contraste com os prequels, pois a gente consegue sentir que eles foram inteiramente filmados com telas verdes, o que faz com que sua estética se torne ainda mais datada à medida que o CGI continuar a melhorar.

Os Últimos Jedi, por outro lado, possui uma das melhores fotografias já apresentadas em comparação com qualquer outro filme de Star Wars, uma das cenas que pode ser usada de exemplo é quando a vice-almirante Holdo atravessa o imenso Star Destroyer na lightspeed. E o filme tem uma preocupação com os esquemas de cores, tornando o visual impressionante para os olhos até daqueles que não costumam reparar muito nessas coisas, como o vermelho e preto na sala do trono do Snoke e o vermelho e branco na superfície de Crait. No entanto, não são apenas os efeitos visuais que tornam Os Últimos Jedi tão lindo de assistir…

#4 – A Coreografia de Luta

Uma das coisas que mais tira o seu fôlego em Os Últimos Jedi são as lutas, engraçado que nós nunca vemos um choque entre os sabres de luz durante o filme, mas mesmo sem isso, o que é apresentado aos fãs, são algumas das melhores sequências de lutas e que são as mais bem interpretadas e memoráveis de toda a franquia.

As lutas com sabre de luz na trilogia original, embora fossem dramáticas, eram um pouco desajeitadas às vezes e as que estão nos prequel são muito bonitas, porém excessivamente acrobáticas.

Agora falando sobre a luta entre Rey, Kylo Ren e a Elite Preetorian Guard, foi aquela luta que todo fã de Star Wars queria ver, são sequências como esta que ajudam a definir Os Últimos Jedi melhor que seus antecessores. Nessa luta temos um dos guardas se transformando em confete humano e outro tendo sua cabeça perfurada por um sabre de luz, essa é sem dúvidas uma das maiores batalhas de Star Wars que tivemos a honra de testemunhar, o que é surpreendente para a Lucasfilm, propriedade da Disney.

#3 – Ele Atinge o Equilíbrio Perfeito Entre Humor e Drama

Os filmes de Star Wars sempre incorporaram elementos de humor, mas o seu grau de sucesso sempre variou. Em sua maior parte, as piadas da trilogia original são intemporais (livres das restrições de qualquer era particular). No entanto, os Episódios IV-VI não são exatamente o que você chamaria de filmes “engraçados”. Enquanto isso, os prequels … bem, vamos lembrar apenas de Jar Jar Binks.

No entanto, Os Últimos Jedi, mesmo com toda a sua ação, drama e peso emocional, é realmente um filme genuinamente engraçado. Mais importante ainda, é que o humor nunca vem à custa dos outros temas acima mencionados; isso serve apenas para complementá-los, coisa que alguns escritores e diretores se esforçam para encontrar em seus roteiros e nem sempre tem sucesso nessa tentativa.

#2 – Subverte Expectativas

Rian Johnson assumiu riscos inigualáveis com Os Últimos Jedi, e o principal deles talvez tenha sido o de dar aos fãs exatamente o oposto do que eles esperavam, transcendendo suas noções preconcebidas sobre a franquia Star Wars. Quem são os pais de Rey? Não importa, eles não são ninguém. Quem é o líder supremo Snoke? Não importa, ele está morto agora.

É certo que algumas das decisões criativas de Johnson são controversas, e se alguma delas incomodou, isso é compreensível. No entanto, nada que Johnson poderia ter feito, teria cumprido as expectativas dos fãs que passaram os últimos dois anos a decidir o que queriam ver, por essa razão ele optou em subverter essas expectativas por completo, o que foi uma decisão inteligente e que levou a um filme genuinamente imprevisível.

#1 – Desafia Nossa Percepção dos Heróis

Os heróis mais intrigantes são os que não são perfeitos, e não aqueles que são endeusados. Em Os Últimos Jedi, a imprudência de Poe Dameron resulta diretamente na morte de vários pilotos da Resistência, no início do filme. A decisão de Finn e Rose de confiar no DJ indiretamente resulta na Primeira Ordem disparando nas naves que estão em fuga da Raddus. Na verdade, DJ também revela que os mesmos oportunistas da guerra que abastecem e fornecem suprimentos para a Primeira Ordem também estão fornecendo para a Resistência. E Luke? Ele entrou em um exílio auto-imposto depois de quase assassinar seu sobrinho ao dormir.

O ponto é que esses personagens não são perfeitos. Eles são indivíduos profundos e complexos que incorporam completamente a idéia de que quem briga pela liberdade de um homem seja o terrorista de outro – uma façanha que Rogue One se aproximou muito em nos mostrar. E para alguns, isso é problemático, mas no final, a palavra esperança que Star Wars nos trás, se torna bem menos atraente, se não existir ninguém ou qualquer coisa que desafie a pureza do esperançoso.

Você acha que Os Últimos Jedi é o melhor filme de Star Wars? Se não for, qual é o seu favorito? Deixe aí nos comentários!

Aspirante a designer e desenhista nas horas vagas. Sonha em ser assistente do Batman e passar as férias no Condado. Atualmente sou uma estudiosa do lado negro da força e quero dominar o mundo! xD~

FacebookTwitterYouTube
Facebook Comments
(Visited 18 times, 1 visits today)

Veja esse também!

Leave a Comment